sexta-feira, 30 de maio de 2008

Caçada no Catembe

O grumete artilheiro e capitão do navio,com a alcunha de "Casca Grossa" era natural de uma aldeia nortenha,estava habituado a ver os caçadores da sua terra matar aves ,portanto tudo o que tivesse penas e voasse era caça.
Num passeio ao Catembe o "Casca Grossa" viu uns passarões,o ideal para um petisco a bordo.
Pediu ao comando a autorização para comprar a caçadeira,e foi-lhe concedida.
Todos nós os menores de 21 anos,embora em serviço militar não éramos emancipados,trocávamos a mãe e o pai,pela Marinha e pelo Governo,portanto sempre pendentes de uma autorização superior.
De caçadeira nova em seu puder,agora era só ir ao Catembe fazer a caçada que já idealizara.
Depois de autorizado a sair de bordo com a caçadeira,arranjou um farnel e um saco,ficamos a vê-lo a atravessar a baía no barco para o Catembe.
No Catembe depois de experimentar a arma,partiu para a caçada,quando achou que já caçara o suficiente,meteu a caça no saco,e andou pela zona do cais do Catembe a comemorar o seu primeiro dia de caçador com umas cervejas.
De volta a bordo um grande sorriso e uma grande bebedeira,ao mostrar-nos a caçada foi o espanto geral,3 ou 4 Flamingos,o difícil depois foi fazer-lhe crer que aquela carne não era comestivél era pior que Gaivota.
Não muito crente,meteu a suas peças de caça no saco e jogou-as para o fundo da baía,mas avisou-nos estão a enganar-me,mas se eu não as como vocês também não comem.
E logo uma promessa,um dia hei-de trazer caça suficiente para um almoço a bordo,"Promessas de Caçador"

Sem comentários: