sábado, 17 de maio de 2008

Contornar a Lei Seca na África do Sul

Ao final da tarde pela cidade,víamos os locais carregados de cervejas e outras bebidas,comentávamos entre nós,estes gajos vão dar uma festa ou embebedar-se em privado.
Só depois associamos a lei (lei seca) a partir do final da tarde,excepto no final de semana,eram proibidos consumir bebidas alcoólicas nos estabelecimentos comerciais.
Nós não sabendo spicar o inglês,para saber como contornar a lei,fomos a bordo falar com os Sargentos e os Marinheiros mais antigos,e a informação batia certa em todos eles.
Poderíamos consumir cervejas no bar de um hotel,desde que rubricássemos o livro de responsabilidade em uso para os estrangeiros não residentes.
Não havia mais caminhos a percorrer,á noite bar de hotel com os marujos.
Estava o bar quase cheio,todos de coca cola na frente,nós pedindo cerveja trouxeram-nos logo o tal livro,assinamos sem ler(também não sabíamos ler o que lá estava escrito) ao beber a cervejola o publico presente olhava parar nós com cara de lástima e a água quase lhe escorrendo pelos cantos da boca.
Levantamos uma cerveja e gritamos "beer",e logo quase todos ao mesmo tempo "yes" os fulanos acharam que nos responsablizavamo-nos por eles,e vá de seguir rodada atrás de rodada,ao perguntar ao empregado quanto tínhamos de pagar,a resposta nada,tudo pago.
(Nos dias que lá estivemos a noite no hotel era proveitosa para nós,para o hotel e para os amigos da cerveja que lá se concentravam)
Os residentes tentavam conversar connosco,para não dar a impressão de incultos,ouvíamos atentamente e no final respondíamos simplesmente yes(não sabíamos, se eles falavam da tia ou de cerveja)mas cada yes,era mais uma cervejola.
De repente no nosso grupo fez-se luz alguém se lembrou que alguns de nós tínhamos sido nomeados para ir á missa no dia seguinte(ninguém se ofereceu como voluntário, era um convite das autoridades locais,e o comando aceitou,mas não compareceu)
Pensam que não comparecemos na missa, lógico que comparecemos, íamos lá faltar a um evento daqueles,(nós como bons cumpridores das ordens emanadas) á hora aprazada lá estávamos na porta da igreja.


Sem comentários: