quarta-feira, 23 de julho de 2008

Lourenço Marques (Descarregar Munições)

Uma bela manhã,tocou á faina,íamos deixar a Beira e navegar para Lourenço Marques.
Não,não íamos de férias,íamos sim descarregar todas as munições dos paióis do navio,para paióis em terra,e depois rumaríamos á cidade de Durban na África do Sul,para reparações,limpeza e pintura do fundo do navio,em Doca Flutuante.
Era,e foi um trabalho árduo,e que já tínhamos feito uma vez em Lisboa.
Podemos chamar a esse trabalho,trabalho de estiva.
Os cunhetes das peças de 101mm (caixa metálica com apenas duas munições) sem exagero pesariam entre 50 a 60 kg,os cunhetes das antiaéreas com 16 munições,deveriam pesar talvez metade digamos 30 kg,e todo esse trabalho,retirá-las dos paióis,subir escadas,atravessar o convés e colocá-las nas camionetes,era á força braçal,depois era necessário ir descarregá-las no paiol em terra.
Trabalho árduo e muito cansativo,e que demorava cerca de 2 dias.
Só após esse trabalho,poderíamos considerar que estávamos, descansando uns dias.
Mesmo extremamente cansados,tivemos tempo de rever as nossas namoradas,mas a coisa continuava preta ,nada de chegar de vias a factos ( nunca chegou ) andávamos então no apalpão e no beijinho, indo lavar a vista por outras paragens.
Na véspera de sairmos para Durban,a mesma recomendação do comando.
Cuidados a ter com a lei sul africana,nada de envolvimentos sexuais,com mulheres consideradas não brancas,cujo castigo, se apanhados se resumia só a 6 meses de prisão e umas quantas chicotadas no lombo.
Portanto nos envolvimentos sexuais,com mulheres não consideradas brancas,dáva-nos a perceber,e para não haver problemas que só se poderiam efectuar na pensão/hotel -NRP ÁLVARES CABRAL F336,porque aí era território português,e não abrangido pela lei sul africana.

Sem comentários: