quarta-feira, 16 de julho de 2008

O "Montijo"

Quem não se lembra do Marinheiro Artilheiro "Montijo",recordado e tanta vez falado nos nossos almoços anuais,onde surge sempre a interrogação,o que será feito dele,será vivo,nunca mais ninguém soube nada dele.
O "Montijo" na Beira,para fazer face ás suas despesas,arranjou nas horas de licença, um emprego em par-time,no Moulin-Rouge.
Portanto Marinheiro (Militar ) e trabalhador por conta de outrem.
Dizia-se que além da remuneração,recebia também um pagamento extra, pago com o corpinho escultural de algumas bailarinas.
Certo é que víamos o "Montijo" com brutas mulheres,e por causa disso o "Montijo" começou a faltar aos embarques,sempre que saímos para o mar,era necessário averiguar se o "Montijo" estava a bordo.
Uma das vezes o "Montijo" estava ausente, e já em faina para nova saída,vimos o "Montijo" escondido pelos guindastes (gruas) ninguém o denunciou,saímos então para o mar ficando o "Montijo" em terra a gozar dos prazeres terrenos.
No nosso regresso o "Montijo" apresentou-se a bordo,pronto para novo castigo.
Em sua defesa e como atenuante,alegou,que se sentia muito cansado,era o trabalho a bordo,era o trabalho no Moulin-Rouge,eram as bailarinas que não o deixavam em paz,portanto vinha para bordo cumprir o castigo e descansar.
Bem nos oferecemos para o ajudar no seu trabalho excessivo com as bailarinas,mas recusou qualquer ajuda,foi uma ingratidão que cometeu com os amigos,quando os amigos o pretendiam ajudar.
Lógico que tantas fez,mas sempre reincidente,que acabou por ser escoltado pelo Sargento Carpinteiro, a Lourenço Marques para cumprir uma pesada pena de prisão na "Xefina" (Presidio Militar em Lourenço Marques)
No final da comissão perdemos-lhe o rasto,já tentamos saber dele e nada,corre as versões,que se ausentou para o estrangeiro e por lá ficou,outras das versões é que o "Montijo" já faleceu,poderão ser versões incorrectas,e um dia poderemos ter o velho "Montijo" num dos nossos almoços anuais.

Sem comentários: