quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Ilha de Moçambique

O tempo vai passando na Beira,são as patrulhas ao Canal de Moçambique, os serviços de bordo,os serviços de escala,mas mesmo assim,vamo-nos divertindo em periodos de descanso na cidade da Beira.
Embora a guarnição do NRP ÁLVARES CABRAL F336,seja bastante unida,com o decorrer do tempo,alguns foram-se afastando dos nossos convívios em terra,arranjaram namoradas,outros amigas mal casadas,a quem tinham de dar apoio moral.
Chega então a altura de render os camaradas de outro navio que se encontrava no norte de Moçambique.
Vamos então voltar,a transportar militares,alguns provavelmente irão a caminho da morte sem o calcularem,vamos voltar aos desembarques com os nossos camaradas Fuzileiros,vamos voltar a transportar os amigos Paraquedistas,uma tropa especial,mas que se souberam enturmar com a nossa guarnição.
Nada a fazer,a ordem era para cumprir.
Tivemos uma surpresa,não tenho a certeza se foi depois de já estar-mos em Porto Amélia,ou se saímos directos da Beira.
Íamos estar uns dias pela primeira e única vez na Ilha de Moçambique.
Chegados á Ilha de Moçambique,tivemos de fundear,não havia porto para acostar.
A bordo olhavamos a ilha, pela descrição dos marinheiros mais antigos, diziam-nos,quando visitarem a ilha,nunca mais na vida esquecerão as belezas que viram.
Tinham razão, ficou inesquecivél,embora os tempos fossem outros,além das belezas naturais,a ilha, era modernizada tinha cinema, campo de futebol, explanadas, discotecas e jardins,o que algumas cidades no norte de moçambique não possuíam.
Tinha uma ponte que fazia a ligação entre a ilha e o continente moçambicano.
Além das belezas da ilha,tínhamos o acolhimento dos residentes que foram excepcionais,gente de diversas culturas,mas que respeitavam os militares,retribuindo os militares da mesma forma.
Não sei precisar quanto tempo lá estivemos,sei que foram uns dias,os camaradas que consulto regularmente não me souberam indicar os dias precisos de permanência na ilha.
Mas,lembram-se do tempo na ilha, não a esqueceram,falta-lhes é os meios financeiros para matar a saudade de quase 40 anos.
Algumas cidades de Moçambique ficaram enraizadas nas nossas memórias,a ilha de Moçambique é uma delas

Sem comentários: