sexta-feira, 17 de outubro de 2008

UM FINAL FELIZ

Naquele tempo, os Comandantes que saíam para longas (+ de 24 meses) comissões embarcados nas fragatas em Angola e Moçambique, eram Capitães de Fragata já muito antigos e normalmente só faziam 1 ano de comissão, ocorrendo entretanto a sua promoção a Capitão-de-mar-eguerra.
O nosso navio não escapava à regra, e o nosso saudoso Comandante, então Capitão de Fragata Soares Parente, esperava ser promovido a meio da Comissão, mas nunca o ouvi dizer que gostava de ser substituído no Comando do navio, antes pelo contrário,queria trazer o navio para Lisboa.
O tempo foi passando e já a comissão ia longa e a promoção nunca mais chegava. Mensagem de promoção nem vê-la.
O nosso Comandante embora não parecesse andava um pouco preocupado, até porque naquela época, às vezes aconteciam umas não promoções um pouco estranhas.
Um dia, estando o navio atracado em Porto Amélia , o então 2º Ten. Rebelo Duarte , Chefe do Serviço de Comunicações, foi alertado por um dos telegrafistas.que tinha acabado de ser recebida a "tal mensagem" a comunicar a promoção do Comandante a Capitão-de-mar-e-guerra.
Informado o Imediato, logo ali se preparou uma brincadeira um pouco perigosa ,para pregar ao Cte Soares Parente.
Todos reunidos na Cãmara de Oficiais,de branco fardados, o Imediato pediu uma audiência ao Comandante para que este ouvisse os Oficiais que andavam descontentes a bordo . O Comandante em pânico, terá pensado,pronto isto é o fim da minha carreira,e lá se vai o meu prestigio. E a comissão que até estava a correr tão bem.
Mandou que os Oficiais entrassem na sua camarinha e dissessem de sua justiça.
Com a mensagem escondida e algumas garrafas de "champanhe" igualmente escondidas atrás das costas,e préviamente avisado o marº. TFD Reis para ter as taças preparadas, demos inicio à brincadeira, se calhar de mau gosto.
-Sr. Comandante , afinal não andamos descontentes, antes queremos mostrar-lhe isto.
E surge a mensagem a comunicar a promoção .
O Comandante leu a mensagem , e com aquele seu jeito meio desconcertante,meio cerimonioso,não me recordo se riu, ou se lhe apareceu uma lagrimita ao canto do olho, mas ao abrirem-se as garrafas de champanhe ,os vivas ao novo Capitão-de-mar-e-guerra apareceram e nesse dia o Comandante mandou distribuir 2 cervejas por elemento da guarnição e ao jantar houve bôlo e vinho do porto,tudo pago por ele.Nessa noite houve festa rija na câmara de Oficiais com alguns excessos à mistura porque todos somos humanos.
Foi um dia com um final feliz.

Sem comentários: