quarta-feira, 26 de novembro de 2008

AINDA O SR. ASPIRANTE

Os que vão acompanhando estas coisas das nossas memórias, bem como o extraordinário trabalho de pesquisa do nosso Moleiro,e o nosso amor à nossa "amante" que foi a Marinha, decerto que se lembram da história que aqui escrevi sobre a recepção feita ao novel Sr. Aspirante que se apresentou a bordo na Beira .Pois bem, se a recepção foi como eu contei, a despedida não foi melhor.Imaginem o que aconteceu.
Na véspera de chegarmos a Lisboa,coube-me estar de quarto aquando do avistamento do farol do cabo Espichel,coisa que transmiti ao Sr. Comandante e com sua autorização foi dito para toda a guarnição ao ETO, vulgo "instalação sonora".
De imediato foram aparecendo Oficiais na Ponte, entre eles o mais ansioso era o então ex-Aspirante.
Decidi então com mais outros camaradas, contar ao dito cujo, uma "tradição" da Marinha , que eu tinha acabado de inventar, naquele instante,e que logo lhe transmiti:
-Eh pá, não sei se sabe, mas é tradição na Marinha, que no fim das longas comissões de serviço dos navios em África, cabe ao Oficial mais moderno fazer 3 dias de serviço ,seguidos.
É óbvio que o visado não queria acreditar, mas como os outros Oficiais presentes,confirmaram, não se falou mais no assunto.
Atracámos, beijinhos e abraços, lágrimas e sorrisos, e nosso Aspirante lá ficou de serviço.
No dia seguinte, o nosso Imediato foi ao navio,e encontrou ainda o Aspirante de serviço,e achando estranho perguntou-lhe se ele tinha sido voluntário para aquele tormento, tendo ele respondido :
- Não Sr. Imediato, estou só a cumprir a tradição que o Sr. Ten. Pinho me explicou.
- Qual tradição ?
- Aquela dos 3 dias seguidos de serviço na chegada da comissão.
- Vá-se pôr à paisana e prepare-se para ir de licença.
Passados alguns minutos ouviu-se, no navio:
- "Alvares Cabral" atenção Oficiais. Tenente Pinho ao camarote do Imediato.
Lá fui, e no meio de algumas risadas de compreensão pela brincadeira,recebi a passadeira de Oficial de serviço.
O Sr. Aspirante afinal só tinha feito dia e meio de serviço,tendo então feito queixas de mim, à minha namorada, hoje minha mulher.
Se me leres o nosso Blog , as minhas desculpas.
Só um pormenor.O Sr. Aspirante,durante a comissão foi promovido a Sub-tenente, mas Aspirante é mais giro.

1 comentário:

António Moleiro disse...

Lembro-me de avistár o Farol do Cabo Espichel,foi a noite mais longa e dificil de passar,Lisboa tão perto,e não podiamos entrar no porto,navégámos até ao amanhecer,quase fazendo uma patrulhado ao Farol do Bugío. Finalmente pela manhã chegou a ordem de entrar no porto de Lisboa. O nosso navio era velho,e lento,mas nunca chegou atrasado a nenhum porto.