quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

O NOSSO HELICÓPTERO

Alguns dos que lêem estas coisas da nossa comissão, estarão agora a pensar :" o Tenente Pinho passou-se, nós não tinhamos helicóptero". Isso é o que vocês pensam.
Tinhamos um,só que não voava, mas fazia um barulho quase igual.
Quando andávamos em patrulha na Beira , de quando em vez,lá nos cruzávamos com as Fragatas Inglesas, que naturalmente exibiam o seu poderio militar, que era infinitamente superior ao nosso, incluindo um helicoptero , suponho que de guerra A/S (anti-submarina).
Quando eu estava de quarto era uma coisa com que eu embirrava,era ver a arrogância com que os "Bifes",punham o seu Heli no ar.
Comecei por me vingar no Oficial de quarto no navio Inglês, contando-lhe (em morse luminoso) umas mentiras impiedosas sobre a cidade da Beira e as suas BELAS E DISPONIVEIS habitantes.
Suponho que para quem passava 18(?) dias ali às voltinhas em frente à Beira , avistando as luzes da Cidade e sem poder ir a terra , não fosse lá muito agradável, imaginar o que perdiam em relação a nós que de 4/5 dias em 4/5 dias lá ìamos à nossa "faina".
Mas não me ficava por aqui.
De quando em vez pedia ao Eng. Santos Bico ( Chefe do Serviço de Máquinas e de Limitação de Avarias), para na tolda do navio fazer uma rotina à bomba de esgoto Perkins 500, que fazia um barulho infernal muito parecido com o das pás de um heli.
E gozava loucamente a ver com os binóculos o Oficial Inglês, também de binóculos a tentar descobrir que raio de barulhoera aquele, que vinha do navio Português.
Para mim, nunca foi a P500, mas antes o nosso Helicóptero.

Sem comentários: