quarta-feira, 30 de setembro de 2009

CAIS DAS COLUNAS

Fundeados no Quadro de Navios de Guerra, NRP TEJO T (D335) e outros Destroyers
- Foto: Estúdio Horácio Novais
Foto: Estúdio Horácio Novais





Vitor Costa

Amigo, Camarada de Comissão, ex Marinheiro Clarim, na actualidade "Taxista e Fadista"
Como se comprova continua a espalhar a alegria e a boa disposição onde quer que esteja.
Fotos: Núcleo de Marinheiros da Armada de Aveiro
http://nmaa.info



segunda-feira, 21 de setembro de 2009

NRP ANTÓNIO ENES F471

Informação e Fotos - http://www.naval.com.br/

Diário de Navegação - Primeiro Dia de Mar
27 de Junho 1971
De: Cais dos Submarinos, E.N.Bazan, La Carraca, S.Fernando, Cádiz
Faina - 08h 50m
12,00 horas - 36º 95',50 N / 06º 28',00 W
Águas de Cádiz.
1.º Oficial de Quarto - 1.º Ten Rocha da Silva
2.º Oficial de Quarto - 1.º Ten Ramos Guerreiro
3.º Oficial de Quarto - 2.º Ten Frade de Almeida
Faina - 17h 15m
Para: Molhe n.º 3 do Porto Comercial de Cádiz ( Por BB )





domingo, 20 de setembro de 2009

RUA DO CRIME

A propósito das fotos postadas pelo Moleiro, eu fui testemunha de um crime na rua do Crime.
O incidente ocorreu no período da minha 2ª comissão em Moçambique, no Comando Naval em Lourenço Marques, logo a seguir ao 25 de Abril de 1974.
Nessa época de retracção do dispositivo militar em Moçambique, Lourenço Marques estava repleta de soldados, prontos para embarcarem de regresso a casa, e a Rua Major Araújo, dita Rua do Crime enchia a deitar por fora de magalagem a emborcarem 3M,s e Manicas, provocando grandes bebedeiras.
Numa noite, eu fui beber um copo com um amigo meu ,Comandante de um navio mercante, que tinha conhecido durante a comissão do nosso Navio, e deparámos com um arraial de pancadaria entre soldados (julgo que tropa normal contra comandos) num Bar chamado Quaresma (?).
Vimos uma grande confusão, e gritaria de homens e mulheres e só vimos uma cadeira aterrar com extrema violência na cabeça de um soldado, que caiu para nunca mais se levantar.
A PM que por li andava prendeu o agressor e o soldado morto foi levado numa ambulância.
Aquele coitado não morreu nas minas ou balas do inimigo,mas acabou a sua vida às mãos de um camarada de armas, quando a guerra tinha terminado.
Ainda hoje me recordo da grande confusão que se gerou, mas por incrivel que possa parecer a festa continuou parecendo que nada de anormal se tinha passado naquela rua. Eu regressei a casa, a pensar na triste sina daquele coitado.
Este foi um CRIME na rua do CRIME.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

NOCTIVAGOS DA BEIRA ( 2 )

A última postagem do nosso Camarada de Comissão, Alm Silva e Pinho, meu ilustre Camarada de Blog, trouxe-me algumas lembranças, principalmente da Cidade da Beira, recordações quase parecidas a outras passadas em algumas Cidades de Angola e Moçambique, mas as da Beira são inesqueciveis, porque foi a Cidade onde estivemos mais tempo, e além disso nem todos os locais foram propícios a aventuras, porque nos faltava o essencial, o par adequado com corpo escultural ou tipo viola.
O final da noite para os noctívagos das "pastelarias" na Beira, nunca tinham o mesmo final, tinham de se cingir ás opções - "Falta de Sorte" - "Sorte" ou "Muita Sorte" e nunca se sabia qual a que nos iria tocar ao final da noite.
"Falta de Sorte" regressávamos a bordo.
"Sorte" Com companhia escultural ou não, mas era o que nos saia na rifa, podíamos ir parar á "Pensão Estrela" no areal junto ao Farol do Macuti.
"Muita Sorte" e bem acompanhado passava-se umas horas numa Flat no "Mira Mortos" com o direito de lá voltar novamente, mas sem data marcada, era a porra da "Sorte"
E acima de tudo a camaradagem, amigo não empatava amigo.
Bons Tempos

RECORDAR A BEIRA





segunda-feira, 14 de setembro de 2009

PARA OS NOCTIVAGOS DA BEIRA

Li recentemente na Revista do Expresso uma pequena entrevista de um Homem de 83 anos cujo nome é Joaquim Pereira Marujo.
Este homem foi marinheiro, foi preparador fisico duma equipa nacional de hoquei em patins, foi pugilista, manager de pugilistas, empresário de boxe, treinador de boxe em vários clubes em Moçambique, e chegou a ser vice-presidente da Federação Portuguesa de Boxe, e o seu nome de guerra era Al Pereira.
Mas o que é que ligava este homem ao nosso passado Africano a bordo da FRACABRAL.
Lembrem-se aqueles (eu não) que se perdiam na noite da Beira.
Este homem era dono do.............MOULIN ROUGE. Eu não me lembro deste nome, mas disse-me o Moleiro que era uma pastelaria muito fina que havia na Beira. E eu acreditei.
Como é bom recordar a nossa juventude. Abraços para todos com muita saúde.

domingo, 13 de setembro de 2009

ESCOLA DE FUZILEIROS (1)








DIRECÇÃO DE SERVIÇO DE ARMAS NAVAIS

Antiga zona de paióis ( Desactivados ) de munições e explosivos da Direcção de Serviço de Armas Navais - Exterior da Escola de Fuzileiros - Vale de Zebro